IMAG1-3

ALIANIMA LANÇA CAMPANHA “O FUTURO É LIVRE DE GAIOLAS”

Campanha “O Futuro é Livre de Gaiolas” em prol dos animais explorados na indústria alimentícia pretende buscar mais aliados para a causa 

Ninguém, absolutamente ninguém, deseja viver uma vida de confinamento, privações e sofrimento, não é mesmo? E não faltam provas científicas que comprovam que os animais explorados na indústria alimentícia também não desejam passar por tamanha desventura, e que sofrem quando maltratados e abatidos. Acontece que esses animais não conseguem se defender, e precisam da nossa ajuda para saírem das gaiolas, redes e celas em que foram confinados. 

Porcos, galinhas, frangos, peixes e bois e vacas são animais que, em sua maioria, nascem e morrem em sistemas de produção. Visando a lucratividade, esses animais são muitas vezes submetidos pelos produtores a práticas que não consideram seu bem-estar, como confinamentos cruéis e que condenam suas vidas ao sofrimento e privação constantes. Entretanto, esses animais de fazenda são dificilmente beneficiados por doações dentro da causa animal, onde os animais de companhia, como cães e gatos, são os mais beneficiados. Além disso, a atividade pecuária está intimamente ligada à degradação do meio ambiente, ao aquecimento global e ao aparecimento de epidemias e até pandemias. 

Foi por essas razões e incentivados pelo Dia de Doar 2021 que a Alianima lançou o seu primeiro financiamento coletivo: “O Futuro É Livre de Gaiolas”. O objetivo financeiro da campanha é cobrir todos os gastos audiovisuais da Alianima no próximo ano – recurso cada vez mais indispensável para dar visibilidade aos animais. Além disso, queremos que cada vez mais pessoas conheçam nossa causa e espalhem a mensagem da campanha por aí. As pessoas que doarem recebem recompensas maravilhosas com a arte exclusiva da ilustradora Bruna Martins

Para que o nosso trabalho continue existindo, é imprescindível a doação de pessoas que queiram fortalecer ativamente a causa dos animais explorados na indústria alimentícia. Doar para essa causa é uma afirmativa para galgarmos uma visão antiespecista e não-antropocêntrica na política dos direitos dos animais, e aí sim garantir um #FuturoLivreDeGaiolas para todas, todos e todes!

Curta e compartilhe nas suas redes!

ruben-bagues-bP9CoOFPu8E-unsplash

4 motivos para doar para a causa animal

Doar em prol dos animais de produção possibilita avanços que beneficia a todos


Basta fazer uma busca rápida no Google com a frase ‘doar para a causa animal’ para perceber como as organizações e instituições de resgate e proteção de animais domésticos, como cachorros e gatos, figuram entre as mais procuradas por quem quer fazer uma contribuição aos animais. Essa é uma ação digna e muito necessária, mas você não acha que está mais do que na hora de doarmos nosso tempo e dinheiro também em defesa dos animais criados e usados pela indústria alimentícia?

Porcos, galinhas, frangos, peixes e bois são animais que, em sua maioria, nascem e morrem em sistemas de produção. Visando a lucratividade, esses animais são muitas vezes submetidos pelos produtores a práticas que não consideram seu bem-estar e que condenam suas vidas ao sofrimento constante e à morte prematura. Nessa cadeia de produção, o consumidor não fica isento, uma vez que o alimento que escolhemos colocar no nosso prato é – para quem pode escolher – uma aprovação dos modos de produção que o geraram. Além disso, é importante o reconhecimento que a exploração sistemática dos animais afeta diretamente o meio ambiente e a de todos os animais que nele vivem – incluindo nós, os animais humanos. 

We Animals Media

Mas será que é possível melhorar a vida dos animais de produção? A Alianima garante que sim – e trabalhamos diariamente para que isso aconteça. A Alianima é uma organização de proteção animal e ambiental que atua diretamente para reduzir o sofrimento dos animais de produção e para refrear a degradação de nossos ecossistemas. Para que nosso trabalho continue existindo, é imprescindível a doação de pessoas que queiram fortalecer ativamente a causa dos animais utilizados na indústria alimentícia. 

Veja 4 motivos para você doar agora para a causa animal: 

  1. AMENIZAR NÚMEROS IMPACTANTES 

Você está por dentro dos dados alarmantes da pecuária? Diariamente no Brasil 16 milhões de frangos são abatidos, 130 mil suínos e 79 mil bovinos. Mais números: mais de 90% das galinhas poedeiras (que botamovos) ainda vivem em gaiolas, e 93,8% das populações de peixes estão sendo pescadas no limite máximo absoluto sustentável ou acima dele. Na Alianima, buscamos compromissos de empresas para adotarem práticas menos cruéis, e apoiamos essas empresas com suporte técnico, treinamentos corporativos gratuitos, eventos e análises estratégicas através da nossa expertise em bem-estar animal. Confira os resultados das conquistas no Observatório Animal.

  1. AFIRMAR QUE TODOS OS ANIMAIS TÊM DIREITO A UMA VIDA DIGNA

Uma sociedade justa inclui todos os animais como seres moralmente relevantes, e não como meras ferramentas ou propriedades. Considerando que outras espécies também são sencientes, ou seja, capazes de sofrer, não devemos considerar apenas os humanos ou algumas determinadas espécies, como cães e gatos, como únicas detentoras de direitos. Por exemplo, porcas grávidas não merecem ser confinadas em celas de gestação, e galinhas poedeiras terem seus bicos mutilados. Na Alianima buscamos diálogo contínuo com o Legislativo para obter melhorias no tratamento concedido aos animais de produção no nosso país. Portanto, doar para essa causa é uma afirmativa para galgarmos uma visão antiespecista e não-antropocêntrica na política dos direitos dos animais. 

  1. GARANTIR O FUTURO DA TERRA (E DOS TERRÁQUEOS)

O Acordo de Paris firmado em 2015 prevê a limitação do aquecimento global em no máximo 2oC até o ano 2100. Esse é um desafio para países e empresas, mas também para cada cidadão-consumidor. A pecuária é uma atividade que envolve fontes de emissões de gases de efeito estufa consideráveis, e portanto deve adotar diretrizes urgentes para reverter esse cenário e garantir a manutenção da vida de todos os ecossistemas. Na Alianima criamos conteúdos para engajar a sociedade, de modo que haja conscientização e reflexão sobre os impactos dos nossos hábitos na vida dos animais, no meio ambiente e na nossa própria saúde.

  1. EVITAR QUE VOCÊ SEJA ENGANADO

Toda informação sobre os animais de produção geram consumidores mais atentos e exigentes com a indústria que fornece os insumos para o nosso dia a dia. A publicidade tem o poder de disseminar falsas notícias e dados para que hábitos alimentares sejam mantidos na população, garantindo a lucratividade das empresas envolvidas. O frango é realmente a carne mais saudável? O ovo vermelho é indicativo de uma criação de galinhas livres de gaiolas? Facilitamos o seu papel de consumidor consciente listando todas as marcas comprometidas com o bem-estar animal e anualmente lançamos o Observatório Suíno, um panorama sobre a suinocultura brasileira. 

A doação é a ponte capaz de unir pessoas a causas em que elas acreditam. 

Doe para a Alianima para que melhorias imediatas sejam implementadas na vida dos animais de produção. Contamos com você! 

semana do meio ambiente 2021 alianima

Veja como foi a Semana do Meio Ambiente de 2021 na Alianima

Programação especial contou com vídeos exclusivos de especialistas e defensores do meio ambiente


O Dia Mundial do Meio Ambiente, que celebra a nossa casa comum, é comemorado no dia 5 de junho desde 1974. Esse tema é tão importante que neste ano a Alianima resolveu fazer uma semana inteira dedicada ao assunto, conectando virtualmente ativistas e interessados na preservação do meio ambiente.

semana do meio ambiente 2021 alianima

Para a Organização das Nações Unidas (ONU), meio ambiente é “o conjunto de elementos físicos, químicos, biológicos e sociais que podem causar efeitos diretos ou indiretos sobre os seres vivos e as atividades humanas”. Ora, mas se essa é a base de nossa sobrevivência, por que a negligenciamos?

A visão antropocêntrica que coloca o ser humano como prioridade está sendo responsável pela degradação acelerada dos nossos ecossistemas, comprometendo o presente e o futuro de muitas expressões de vida que habitam este planeta. 

 A Alianima acredita que ampliar a noção humana de pertencimento ao meio ambiente a partir de uma visão não antropocêntrica é o ponto chave para impedir sua destruição e apontar caminhos de preservação. Por isso, preparamos uma série de vídeos para o público ampliar e atualizar seus conhecimentos sobre questões ambientais que merecem um olhar atento da sociedade. Dá o play:

Sem azul não há verde: entenda a importância do oceano para o meio ambiente

A ativista socioambiental, fotógrafa, documentarista e co-fundadora da Liga das Mulheres pelo Oceano, Barbara Veiga, comenta como a força do coletivo é capaz de transformar nossa relação com o meio ambiente e, claro, com os nossos oceanos.

Atol das Rocas: um paraíso que você não vai conhecer!

O Atol das Rocas foi a primeira Reserva Biológica Marinha do Brasil, e em 2021 comemorou 42 anos de muita exuberância natural, conquistada através da preservação proporcionada pela equipe de fiscalização, sobretudo pelo trabalho da servidora do ICMBio/MMA Maurizélia de Brito, que trabalha na Reserva desde 1991, e exerce um papel fundamental para conter a pesca ilegal que rondava o Atol das Rocas. Veja mais sobre esse trabalho no vídeo. 

Agroecologia: entenda por que apoiar essa forma de produzir alimentos.

Entenda a importância da Agroecologia enquanto sistema alimentar que promove um alimento saudável e justo para todos, através da fala de Islândia Bezerra, nutricionista e atual presidente da Associação Brasileira de Agroecologia.

Especulação imobiliária e a expansão de loteamentos impactam a produção de alimentos? Descubra!

A ecóloga e mestre de preservação de desenvolvimento da biodiversidade, Anita Valete, fala sobre o FUA – Fundo Agroecológico, projeto de propriedade coletiva focado na agricultura familiar e orgânica que vai atuar por meio de financiamento coletivo para viabilizar a compra de terras para uso na agricultura justa.

Você sabe o que é um Santuário de Animais?

Você sabe o que é um Santuário de Animais? Conheça o trabalho da Cíntia Frattini, fundadora e diretora do Santuário Terra dos Bichos, uma ONG localizada no município de São Roque (SP) focada em acolher animais vítimas de maus-tratos (principalmente oriundos da indústria pecuária), abandono e tráfico ilegal.

Para onde vão os animais vítimas de maus-tratos, provenientes de zoos, circos e tráfico?

A médica veterinária e voluntária Carla Spechoto conta sobre o relevante trabalho do Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos, que atua desde 1991 em Cotia (SP). Através do auxílio ao Poder Público e respectivos órgãos ambientais 24 horas por dia, recebem animais apreendidos de tráfico, circos, vítimas de maus-tratos e afins.

Captura acidental: como o bycatch está dizimando a biodiversidade dos nossos oceanos?

A captura acidental de animais marinhos, também conhecida como “bycatch”, é determinante para a perda de biodiversidade marinha. Neste vídeo, conversamos com a pesquisadora Anne Landine, uma das idealizadoras do projeto #Stopbycatch, em parceria com o VIVA – Instituto Verde Azul e Instituto Aqualie.

Pesca ilegal: você sabe o que é?

Um a cada cinco peixes capturados é proveniente da pesca ilegal, segundo a FAO. Combatê-la é uma responsabilidade coletiva! Conheça o trabalho do professor e pesquisador Fabio Motta, coordenador do Laboratório de Ecologia e Conservação Marinha (LABECMar-Unifesp). Suas pesquisas se concentram na ciência para a gestão de áreas marinhas protegidas, biologia de tubarões e raias, ictiologia e conservação marinha. 

Como seu consumo afeta o bem-estar dos animais?

Maria Fernanda Martin, mestre em zootecnia e gerente de relações corporativas e bem-estar animal na Alianima, elucida sobre a importância de hábitos de consumo responsáveis e a criação de consumidores conscientes para um ambiente sustentável, que contemple o bem-estar dos animais. 

Você sabe o que é saúde única?

Patrycia Sato, médica-veterinária, diretora técnica e presidente da Alianima, elucida sobre o conceito de saúde única e como a visão separada de saúde animal, ambiental e humana não contempla a profundidade do assunto. Apenas essa interpretação integral de saúde é capaz de guiar a humanidade a caminhos assertivos para a solução de problemas como epidemias e pandemias. 

Juventude indígena na luta contra os efeitos da mudança climática.

Elson Kene é coordenador do departamento de Adolescentes e Jovens da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro, que representa 23 povos indígenas no Brasil, e articula ações em defesa dos direitos e do desenvolvimento sustentável de 750 comunidades indígenas na região mais preservada da Amazônia, na tríplice fronteira com Venezuela e Colômbia.

Crise climática em terras indígenas: um recado de Adelina Sampaio, líder indígena do Alto Rio Negro.

Adelina Sampaio, líder e articuladora indígena do território Balaio, pertencente à região do Alto Rio Negro (AM), conta pra gente um pouco sobre seu trabalho de fortalecimento de voz política da Associação de Mulheres do seu território e sua luta por manter a floresta em pé. 

Tráfico de animais silvestres: um risco à biodiversidade brasileira.

O tráfico de animais silvestres é uma prática criminosa que movimenta bilhões de dólares e põe em risco a biodiversidade brasileira. Conheça o trabalho da Juliana Ferreira, diretora da Freeland Brasil, organização que luta pela conservação da nossa biodiversidade por meio de ações que combatem o tráfico de espécies silvestres. 

Combate ao tráfico de silvestres: uma luta de todos nós. Um papo com Marcelo Pavlenco, da SOS Fauna.

Assista ao vídeo e conheça o trabalho do Marcelo Pavlenco, diretor da SOS Fauna, uma organização que combate o tráfico de animais silvestres através de ações conjuntas com as autoridades brasileiras ligadas ao tema.

Para acompanhar mais vídeos sobre os animais e o meio ambiente, inscreva- se no nosso Canal do YouTube.