Doe agora
18 de setembro, 2023

Conheça os problemas da produção de carne suína

Conheça os problemas da produção de carne suína

A indústria de carne suína é uma das maiores e mais lucrativas do setor agropecuário em muitos países ao redor do mundo. No entanto, por trás dos produtos embalados e disponíveis nas prateleiras dos supermercados, esconde-se uma realidade sombria e repleta de desafios para o bem-estar animal e questões éticas.

A seguir, vamos te contar quais os impactos negativos da criação intensiva de suínos, abordando desde as condições de confinamento até as consequências ambientais e de saúde pública associadas a essa produção.

Quais são as condições a que esses animais são submetidos?

Os suínos são comumente criados em ambientes com graves questões de higiene e limpeza, o que pode levar a problemas de saúde nos animais, além de aumentar o risco de doenças e infecções.

O agrupamento excessivo de suínos em espaços confinados e com ventilação inadequada pode resultar em doenças respiratórias. A concentração de animais em ambientes fechados propicia a disseminação rápida de infecções respiratórias, afetando negativamente o bem-estar e a saúde dos suínos.

Quais são as doenças que esses animais podem desenvolver nesses ambientes?

Os suínos criados em ambientes intensivos e confinados podem desenvolver diversas doenças, tais como problemas respiratórios, de pele, musculoesqueléticos e gastrointestinais.

Além disso, a alimentação insuficiente pode causar diversos problemas no trato digestivo e urinário dos suínos, como desnutrição, problemas intestinais, cistite e outras enfermidades que afetam a saúde e a qualidade de vida.

Doenças Comuns em Suínos:

  • Peste Suína Clássica (vírus, altamente contagioso e letal)
  • Coccidiose (protozoário, diarreia principalmente em leitões)
  • Rinite Atrófica (bactéria, altamente contagiosa)
  • Parvovirose (vírus, sem tratamento e muito contagiosa)

Por que a criação intensiva de suínos pode levar a epidemias e pandemias?

A criação intensiva de suínos pode levar a epidemias e pandemias devido à alta densidade populacional, ao confinamento dos animais e ao frequente contato com humanos que trabalham nas granjas. Nessas condições, a rápida disseminação de doenças infecto-contagiosas, incluindo zoonoses, entre os suínos e humanos é facilitada, aumentando o risco de surtos de doenças, como a gripe suína. 

O uso excessivo de antibióticos na produção animal pode favorecer o surgimento de bactérias resistentes, representando uma ameaça à saúde pública, tornando os tratamentos médicos menos eficazes em humanos e animais.

Quais são os efeitos do estresse térmico nos suínos?

A seleção genética feita para aumentar a produção de carne suína tornou esses animais mais sensíveis ao calor e aos raios solares. Isso pode resultar em estresse térmico, causando problemas como hipertermia, redução de apetite, desidratação, dificuldades respiratórias e efeitos negativos na produção de carne e reprodução. 

Como ocorre a reprodução dos suínos?

A inseminação pode durar 3 a 5 dias, sendo que as porcas reprodutoras (matrizes) geram crias 2 a 3  vezes ao ano, resultando em altos níveis de exploração desses animais.

A gestação dos suínos dura cerca de 114 dias, período em que as porcas são alojadas em celas individuais.. Poucos dias antes do parto, são transferidas para outro galpão (da maternidade) e alojadas em celas individuais mas com espaço nas laterais para comportar os filhotes. Após o nascimento, as porcas cuidam e dão leite para seus leitões, geralmente por 21 a 25 dias. Apesar das celas serem adotadas para evitar que as porcas,  acidentalmente esmaguem seus filhotes, esta ainda é a principal causa de morte de leitões na suinocultura.

Depois disso, os filhotes levam cerca de 70 dias para engordar antes do abate, enquanto os leitões são abatidos com 4 meses de idade e os porcos padrão com 7 meses.

Como as fêmeas usadas para reprodução são mantidas?

As fêmeas usadas para reprodução são mantidas em celas individuais ou, de forma menos cruel, em baias em grupo durante a fase de gestação.

Essas celas de gestação são espaços estreitos e individuais, e resultam em problemas musculoesqueléticos, falta de espaço, doenças de pele, falta de contato social e privação de comportamentos naturais.

A Alianima atua para que empresas se comprometam a banir essas celas. Clique aqui para ver quais empresas já publicaram esse compromisso.

Como se informar sobre a realidade por trás da produção da carne suína?

O sofrimento dos animais, a degradação ambiental e os riscos para a saúde pública não podem ser ignorados. A busca por alternativas sustentáveis e éticas na produção de alimentos deve ser incentivada, e cada um de nós tem o poder de fazer a diferença por meio de escolhas conscientes. Acesse o Relatório Observatório Suíno, e entenda detalhadamente como funciona a produção de carne suína no mundo e suas problemáticas. Juntos, podemos trilhar um caminho de progresso e transformação na busca por um sistema alimentar mais ético e sustentável.

Assine nossa newsletter e fique por dentro das nossas ações

Ao enviar o formulário, eu declaro que estou de acordo com a Política de Privacidade.

doe

A sua colaboração fortalece nossa atuação em prol dos animais.

Doe agora

Alianima © 2024

Política de Privacidade Política contra Discriminação e Assédio

Desenvolvido por:

Agência Fante - Marketing Digital

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.